Doa-se seringa para insulina

(para cão de grande porte)

12,7 mm, para 100UI

Publicado em Não categorizado | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Shih Tzu breed dog found lost

Dog found in the city of São Paulo (Brazil), male, apparent age five, black and white.

Contact by email rota150@hotmail.com

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Shih Tzu perro de raza encontrado perdido

Perdido perro se encuentra em la ciudad de São Paulo (Brazil), varón, cinco aparente, negro y blanco.

Contactar por email rota150@hotmail.com

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

VETMEDIN 5MG

Aviso à quem está usando ou vai usar Vetmedin original:

Não pague mais que $400 (quatrocentos reais) de nenhum picareta que esteja querendo se aproveitar da doença do seu cão.

Caso você esteja pagando por uma assessoria em importação considere o valor a parte, mas veja se o medicamento está sendo importado com seus devidos trâmites ou se está chegando ‘por baixo dos panos’.

P1060022

Publicado em Não categorizado | 2 Comentários

Shih Tzu encontrado perdido adoção

Shih Tzu encontrado perambulando em São Paulo.

Preto e branco idade aproximada 6 anos. Sinais particulares: dedo de lobo e hérnia umbilical.

Pele completamente lesionada e já em tratamento, os pelos já começaram a crescer.

Caso o dono não o encontre ele será adotado por uma família que tenha excelente condição financeira, entenda de cães de pequeno porte, que não tenha cães bravos/neuróticos, não tenha crianças em casa, e esteja disposto a amá-lo como filho.

Não é brinquedo e possivelmente nunca será um exemplar da raça pela própria idade.

Ele é doce, dócil, se deu bem com cães e gatos, come muito bem: gosta de comida vegetariana.

Como todo cão terá despesas fixas mensais, e pela predisposição genética da raça certamente precisará de acompanhamento veterinário enquanto viver.

É ‘cão de colo’ mas não vive no colo, gosta de ser ‘cachorro’ > livre mas com carinho e disciplina.

Vai ser – e já é – Excelente Companheiro.

A foto será enviada somente aos interessados no caso.

Contato pelo rota150@hotmail.com

Publicado em Cães, Não categorizado | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Síndrome Hepatocutânea – Necrose Epidérmica Metabólica

Dermatite Necrolítica

Eritema Necrolítico Migratório

Mal importa o nome agora, a doença é agressiva, violenta: rara.

Sendo rara imagino que os estudos para cessar essa enfermidade estejam meio estacionados.

Minha pretensão aqui é encontrar um meio de cura, sim, a palavra cura fica distante quando se tem um caso desses em mãos, parece até que a palavra ‘fatal’ orna mais com a doença.

Já tive tempo suficiente para conviver com o doente e para ler muita teoria sobre o assunto, infelizmente nós (Brasil) que somos tão avançados em Medicina Estética (por exemplo) estejamos pobres em informação sobre a Síndrome.

A causa da hepatocutânea nem eu nem ninguém sabe, digo, eu imagino qual seja a causa da doença da Amanda, como mãe dela (pâncreas e olhos também) conheço seu comportamento e fui capaz de traçá-lo logo que a pequena entrou em nosso carro.

Amanda não teve a alimentação que o organismo precisava e passou por estresse, será que ela tinha acompanhamento Médico a cada seis meses?

Eu creio que não, male male deve ter feito exames para ver como andavam os bebês na barriga.

De uma forma ou de outra sei que a doença ia aparecer, mas penso que por já ter havido deficiência de alimentação, o disparo final foi quando a pequena precisou fazer regime para não passar dos 13 quilos + uma vacina antirrábica.

Ração de primeira linha, a mais recomendada do Mundo, complemento em forma de palito palatável e frutas a parte…

Mas ela vivia lambendo as patas, sempre os fez de ‘chupetas’, poxa nosso único problema era a coprofagia, depois aquela incontinência urinária, a maluquice por comida, e a dermatite de dobra labial.

Quando ela ficasse ‘menos louca’ poderíamos operar o lábio e deixá-la sanamente com um colar elizabetano.

Como sou uma mamãe de cachorro sequelada preferi pecar por excesso de exames a não fazê-lo e perder outro cocker pelas malditas doenças genéticas já conhecidas. Nada havia de mais em exames da pequena, apenas uma leve hepatomegalia.

Ao levá-la com a irmã Labradora dela (Leslie) ao Cardio pedi que ele a auscutasse por que aquele coraçãozinho maluco parecia querer saltar pela boca com o menor esforço, bem, ele me fez arregalar os olhos e gelar o estômago: ‘marque um eco assim que possível’.

Ah não!

Duas Cardiopatas?

Vetmedin para o resto da minha vida?

Aquilo já tinha sido demais para mim, mas o pior estava por vir, descobri que a cardiopatia da Leslie era uma doença boazinha perto disso o que temos agora.

Amanda lambeu tanto as patas que as almofadinhas ficaram amolecidas, fedidas, eu atribuía aquilo ao monte de bactéria que saía da ‘boquinha de peixe’ dela e se proliferava pelas patas. Eu já nem deixava mais que ela fizesse xixi onde pudesse pisar de volta.

O spray antibiótico local não fez efeito e começaram a aparece lesões na genitália, na barriga, no fuço…

Claro que sem alterações em exames o tratamento seria básico, antibiótico, antifúngico, anti sei lá o que.

A saúde dela passou a degringolar rapidamente, a pele ficou vermelha, com descamação, odor fétido, com pústulas (pareciam espinhas) e isso parecia muito com doença autoimune (lúpus, pênfigo), a derme passou a escurecer, apareceram manchas escuras, por vezes a pele parecia plastificada, quente, sensível ao extremo e isso ainda trazia coceira.

Coçar carne viva?

A cockerzinha baqueou, para mim que a pegava nos braços quase sem forças via um cão desfalecendo a cada dia, e a cauda que tanto saculejava começara então a perder os pelos e tudo estava tão dolorido que nem dava para abrir direito a boca, ela perdeu peso.

Estava doendo para mastigar, não dava para bocejar, todas as mucosas do corpo estavam sendo bruscamente agredidas de dentro para fora.

Seus olhos fecharam de tão inchados e cheios de incontroláveis remelas, em outro dia a respiração fica estranha e catarro começa a sair do nariz já ressecado.

A massa muscular some, as juntas nitidamente doem, a otite parece até coisa pouca pois os ouvidos jorravam cera o tempo todo.

Foi muito exame para descartar doença bem conhecidas, endócrino-metabólicas, infecto-contagiosas.

A cada ultrassom a piora da pele por ter de usar lâminas, os pelos que foram tosados para exame há meses somente agora crescem ralos e vagarosamente, estão opacos, grossos ao toque.

Sou meio cientista, meio médica, meio louca, uma pessoa bem inteligente, ou seja, detenho muito conhecimento acerca das coisas (e infelizmente das pessoas também).

Num dia cheguei na Médica da Amanda e questionei se ela conhecia a Síndrome de Steven Johnson, ela disse que não, e eu falava assim ‘por cima’ que era o nome e geralmente era por farmacodermia (toxidade), e dizia para ela procurar saber sobre a NEM.

Lembro como se fosse ontem da minha letra cuspindo as três letrinhas no receituário dela: ‘NEM’- Necrose Epidérmica Metabólica, e ainda nem tinha certeza sobre o termo ‘necrose’ ou ‘necrólise’.

Bem, esse foi o diagnóstico mas de fato quem o deu foi um Dermatologista que pediu as lâminas da biópsia para levar em um laboratório da confiança dele, e aquilo demorou, mas veio de cabo a rabo escrito no laudo que era síndrome hepatocutânea.

O responsável pelo diagnóstico foi o Laboratório Paulista de Dermatologia.

Esse drama todo começou a ocorrer em Abril de 2012, eu sei que isso não tem cura mas tem um Tratamento de Suporte. (tem por que eu estou fazendo)

Os estudos de caso nacionais são assustadores, todos morrem rapidamente; ao procurar por Médicos (inclusive autores de estudos) noto que o tempo os deixou ali parados dizendo ‘não’.

Médicos mais antigos se apegam a uma teoria e ponto final, Médicos mais novos temem em errar, ou diria tentar?

Eu me sinto muito sozinha em relação a necrolise epidérmica metabólica, mas também sei que por menos recurso financeiro que eu tenha (depois de ter gasto muito) de certo sou a pessoa certa para cuidar de um cão assim.

Pelo amor de Deus, para quem peço, é para Deus?

Vamos tentar!

Tudo é passível de matar a Amanda?

Ah, com certeza é, mas sem tentar como é que ficamos?

Esperando a morte chegar no escuro?

Sim, no escuro, a maldita síndrome hepatocutânea desencadeou diabetes nela e a cegueira foi rápida, mal pude fazer algo: 3 dias para escurecer.

E eu dizendo: ‘ está de noite querida, prometo que vai clarear’.

Cocker é muito conhecido por ser sensível, e é sim, sensível de coração, amável, não deve ser coincidência Amanda ser tão resistente e Thaty ter brigado tanto para ficar ao meu lado: Cocker é forte.

Bem, no início de 2013 a função hepática da Amanda estava absolutamente normal e mesmo assim (depois de 42 dias de estabilidade) os sintomas de pele voltaram a aparecer.

Eu acho que isso pode ter um bom tratamento de suporte, bem como também acho que é preciso explorar esse tipo de paciente até o seu limite, não sei mais com o que estou lidando.

Numa citologia me foi sugerido carcinoma hepático, penso em pâncreas, em glucagon, penso em algo mais, não creio que somente a diabetes seja secundária, considero este ponto em que estamos uma Segunda Fase e deveria ser investigado algo mais em termos endócrino-dermatológicos.

Também acho necessário tentar restaurar a imunidade do organismo.

Eu acho muita coisa, eu durmo e acordo ‘fígado’, eu penso e repenso ‘Amanda’.

Amanda come determinados alimentos,  toma alguns medicamentos e usa determinado tipo de banho terapêutico, o tratamento é caro, carésimo, não a levo ao Médico o tanto que gostaria, não consulto quem poderia ajudar.

Se alguém quiser/puder ajudar a Amanda peço que o faça (com exames, consultas, conhecimento, procedimentos, etc)

Terapia Celular, por favor!

E se você for viajar ao exterior traga-nos um medicamento, entre em contato.

Quem quiser saber como estou tratando Amanda entre em contato, estamos no décimo mês de sobrevivência.

Hiperqueratose focinho, alteração mucosa ocular

Hiperqueratose focinho, alteração mucosa ocular

Síndrome Hepatocutânea

Hiperqueratose plantar com rachadura e sangramento, amolecimento das interdigitais.

Síndrome Hepatocutânea

Vermelhidão, escurecimento, crostas, mau odor, ardor, coceira.

Com todo o estrago e dor ainda há espaço para festinha…

A lesão da mucosa oral antecede as lesões no fuço.

A lesão da mucosa oral antecede as lesões no fuço.

Publicado em Não categorizado | Marcado com , , , , | 1 comentário

O que fazer pelo seu cão cardiopata / doente – Receita de Saúde

Vou dizer o que funciona conforme os dias vão passando.

Se você mora em cidade grande (=poluída) terá de proporcionar ao seu cão passeios em locais com ar puro, mas não faça-o correr, preferencialmente curta o clima ou tenha um carrinho (tipo Pet Car).

Não fique ‘preso no trânsito’ com seu peludo no carro, dependendo do grau da enfermidade notará ofegância, tosse, desânimo, etc., o CO2 é bandido.

Se você chegou até aqui imagino que não vai enfiar um cão no porta-malas, mas se inocentemente faz isso (ou faz por que ‘ama seu carro’) repense, ponha seu peludo no banco de trás ou na frente se ele couber na cadeirinha e estiver de cinto, se for um cão grande ou mais de um cão rebata os bancos e deixe as saídas de ar voltadas para eles.

No meu caso adaptei um conduite nas saídas de ar rs, então como sou desprovida de ar condicionado tri-zone acabo por ter meu super ar direcionado.

Em sua casa o mínimo que vai precisar ter é um ventilador no caso de não poder investir em ar condicionado.

A temperatura ideal para eles é de no máximo 25◦ e a umidade relativa do ar deve estar acima de 60%, isso é simples de controlar, tem relógios digitais com essas funções (higrêmetro), tem até os que medem o CO2, mas neste caso basta o seu cheirador para saber como anda o ar.

Basicamente você vai dormir tranquilamente quando ouvir seu querido peludo roncando e respirando bem, o ‘aparelho’ que te acorda quando ele passa mal/tem crises vai funcionar com o passar das semanas, você mal vai acreditar que será capaz de sair do último sono quando seu inconsciente notar algum ruído preocupante.

Bem como você vai perder o sono, os cabelos, a fome, ganhar peso, ficar maluco…

Mas se vocês vencerem os primeiros meses…

Vai passar cada dia como se fosse o último, o seu cão (seu filho(a)) pode ser doente, mas vai se tornar o Ser vivo mais feliz e bem tratado ‘do Mundo’.

Deixe seu cão praticar atividade física somente se recomendado pelo Cardiologista, e a cada dia você tem de verificar como está a reação dele e a tolerância as caminhadas e brincadeiras.

Não se preocupe se ele a partir de agora quiser ficar ao seu lado, te seguir ou ficar mais tempo dormindo, a natureza sabe o que faz, respeite todas as sonecas e faça muita companhia para seu querido peludo.

Ao notar ofegância coloque seu peludo no ar corrente (mas não direto), tenha um umidificador de ambiente e questione ao seu Médico o uso de Nebulizador (se com soro ou algum medicamento).

Minha filhona antes de ser cardiopata teve sérios problemas de pulmão, então como eu não tinha recurso nenhum eu a levava para tomar banho comigo e fazia muito vapor para ela inalar no banheiro, no começo quem disse que aquele bicho enorme queria ficar no banheiro?!

Depois disso eu nunca mais pude fechar a porta do banheiro, por si só ela já enfiava o fuço no box, empurrava a porta quando ‘chegava atrasada’.

Se o seu cão nada observe-o atentamente para ver se ele não vai passar mal, se o esforço não é muito e agora vai ter de secá-lo bem, nada mais de ficar úmido pelo quintal.

Caso a temperatura esteja abaixo de 20◦ e você sinta ‘aquele friozinho’ típico de noites coloque roupa no seu cão, mas nada daquelas roupas grossas, prefira as malhas 100% algodão.

De agora em diante seu cão não deve passar sustos, fuja dos locais onde os malditos pilantras ficam soltando fogos, ao andar de carro fuja das buzinas constantes dos acéfalos dos motoboys. Quando souber que vai ter barulho use algodão nos ouvidos de não esqueça de tirar (eu já esqueci… aiaiai).

Seu cão não pode mais ficar exposto aos banhos de Pet’s barulhentos e com ambiente quente, tem que ser horário especial, banho individual, local com menos tosadores trabalhando…

(e jamais deixe-o sentir o baque da temperatura na saída do banho)

A alimentação…

Tanta controvérsia que já ouvi.

Mais uma vez é o que vejo funcionar, ok?

Acho que a ração cardíaca é uma bomba calórica e a recomendo para estado de caquexia, se seu cão tiver idade acima de 7 anos pode dar alimento tipo ‘sênior’, petisco industrializado infelizmente não serve, faça-os em casa, ofereça frutas, muita água de côco, isotônicos.

Pena que nem sempre eles aceitam, mas precisam estar hidratados, veja sempre a boca e o nariz do seu filho, mucosas não podem estar esbranquiçadas, amareladas ou muito avermelhadas, o nariz normalmente é úmido, deve ter a aparência ‘fresca’.

Crie o hábito de conhecer o som da respiração, se ouvir algo parecido com ‘nariz entupido’ ou qualquer outra coisa corra para o Médico, você precisa ter os contatos de Médico e precisa de uma clínica perto da sua casa, se não tiver vá todo santo mês ao Veterinário.

Mantenha exames em dia, crie o hábito de acompanhar, agora você vai frequentar a clínica veterinária bem mais do que gostaria, para a maioria dos cães acaba sendo passeio.

Sim, é caro manter um cão enfermo, em todos os sentidos, pensa só, eles nem podem ficar sozinhos se você planejar sair de casa por mais tempo já tem de deixar alguém cuidando ou deixá-lo no Hotel.

Medicamentos como Vetmedin/Pimobendan precisam ser ingeridos antes das refeições, respeite os horários dos medicamentos, se seu bicho toma diurético naturalmente (e espera-se) que ele vá fazer mais xixi, mantenha o local limpo, as patas limpas, ofereça muito líquido (exceto os com restrição médica).

Se a barriga inchar corra, tem que se preocupar com inchaço abdominal tanto quanto com ‘chiado na respiração’.

Alguns cães não conseguem dormir direito por muitas horas e começam a tossir, se isso acontece tente elevar a cabeçeira da cama em alguns centímetros, isso vai evitar acúmulo de água nos pulmões.

Mantenho o cilindro de oxigênio perto de mim para o caso de ter alguma crise, para casos mais adiantados o cão precisa fazer oxigenioterapia em casa, precisa ter para correr para o médico…

Com o tempo você vai entender e questione, sempre questione, estude sobre o assunto, troque ideias com conhecidos e sugue seu Médico!

Não tenha vergonha de perguntar e não deixe que ele fale contigo em termos técnicos a menos que você os entenda perfeitamente, indague sobre cada medicação, é importante entender a lógica do novo funcionamento do organismo do seu filho peludo.

Nunca deixe nenhum medicamento chegar perto do fim para comprar outro, eles podem faltar e de agora em diante todos eles são necessários para uma vida longa e saudável para seu peludo.

São tantos detalhes que provavelmente pulei muitos, mas a receita para uma vida longa estou aprendendo a cada dia.

Quando for sair com seu cão não esqueça de nada, faça uma lista até acostumar com a nova rotina.

Olha só meu porta-malas, isso parece um carro SUV? rs

Cilindro de oxigênio no cantinho direito, caixa de remédio, cama, roupa, bolsa de medicamento/higiene, vários tipos de alimentos específicos debaixo desse cobertorzinho rosa…

Leslie e Amanda

Que todos nós tenhamos muita saúde, vamos aproveitar cada dia.

Publicado em Não categorizado | Marcado com , , , , , , | 6 Comentários